Ex-delegado em MS é condenado a 14 anos pelo sumiço de 101 kg de cocaína da delegacia que trabalhava

Eder Oliveira Moraes é acusado de envolvimento com um grupo criminoso e por utilizar da posição de poder para facilitar o furto da droga

Cb image default

O ex-delegado da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul, Eder Oliveira Moraes foi condenado pelo sumiço de 101 kg de cocaína da delegacia que trabalhava em Aquidauana, em 2019. A Justiça determinou a reclusão de Eder por 14 anos e sete meses, em regime fechado e perderá a função pública.

A Justiça alega que Eder estava envolvido com um grupo criminoso e por utilizar da posição de delegado para facilitar o furto do ilícito. O homem já está preso em razão de outros processos que, inclusive, determinaram a perda do cargo, mas ele recorre na Justiça.

O delegado de Eder, Irajá Pereira afirma que os autos foram baseados em hipóteses e que vai recorrer da decisão mais recente. Além do delegado, outras quatro pessoas foram condenadas na ação.

Entenda o caso:

No dia 10 de junho de 2019, os policiais de Aquidauana perceberam a falta da carga e a corregedoria foi acionada, instaurando o inquérito e realizando vistorias no local. Conforme a investigação, o depósito fica dentro da unidade policial, perto das celas. Na ocasião, o criminoso teria entrado pela janela e a informação inicial é que se trata de cocaína.

A polícia também realiza uma "apuração interna para constatar se houve algum tipo de facilitação". Na ocasião. Nove dias após o crime, nove pessoas foram presas pelo furto.

Na época, foram presos sete homens e duas mulheres, entre elas uma advogada. As prisões foram de caráter preventivo, temporário e em flagrante. Todos serão transferidos para Campo Grande. Segundo as investigações, a delegacia foi arrombada.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.